Cinema

Doc: a Banksy film

Por Simone Ribeiro, @moluska (Publicado originalmente em out/10)

Não sei vocês, mas quando li sobre Exit Through the Gift Shop ser um documentário sobre Banksy, me veio à cabeça algum maluco tentando desvendar a identidade do maior e mais ousado grafiteiro do planeta. Ou também imaginei que algum amigo do próprio Banksy poderia estar encarregado de fazer um filme a fim de eternizar as obras dele. Mesmo porque, para quem não sabe, a identidade do grafiteiro britânico nunca foi revelada.

Mas não é nada disso. Exit Through the Gift Shop, ou algo como Saída pela Loja de Souvenirs, é um documentário ousado, que brinca com a nossa imaginação. Mais ou menos o que Banksy faz, toda vez que deixa um novo estêncil em alguma parede de cidade ou quando abre alguma exposição nas melhores galerias de arte ao redor do mundo. Sem mostrar a cara, mas com capacidade de prender nossa atenção. E, nesse caso, por uma hora e trinta minutos, o tempo de duração de Exit Through Gift Shop.

banksy1A história é narrada pelo suposto diretor e idealizador do filme. Um francês chamado Thierry Guetta, que vive em Los Angeles, Estados Unidos, e que além de ser dono de uma loja de roupas e pai de uma simpática família, também tem como paixão, filmar o cotidiano de pessoas. Sejam simples mortais, como ele, ou famosos como Noel Gallagher ou Shaquille O`Neil. Ambos aparecem no documentário, deixando claro que não gostaram, nem um pouco, de ser filmados por Thierry.

Mostrando toda a sua obsessão por uma câmera de vídeo e uma ideia em mente, Thierry sai pelo mundo atrás de imagens inusitadas. Sua trajetória com a street art começa quando ele encontra o primo, também conhecido como Invader, que grafita as ruas de Paris. A partir de então, o francês volta para os Estados Unidos, com a ideia original de se fazer um documentário sobre street art.

Nessa trajetória de sair a noite para filmar os grafites alheios, ele conhece gente importante do street art como Shepard Fairey, que ficou famoso por ilustrar uma importante figura mundial, Barack Obama. Até então você imagina que a perseguição de Thierry aos grafiteiros anônimos ou não,vai nos levar a Banksy de alguma forma. Talvez uma imagem inédita do artista inglês, em um momento de descuido, captada pela câmera de Thierry.

Mas quando o próprio Banksy aparece em algumas cenas, dando seus depoimentos, devidamente camuflado pela ausência de luz e voz de pato Donald, é que você começa a desconfiar que a coisa toda possa não ser séria. Mesmo porque o próprio Banksy diz ter procurado Thierry em L.A. ao precisar de alguém que conheça a cidade e possa indicar a ele alguns muros para grafitar. Seria mais ou menos a mesma coisa que o Ronaldinho pedir para você ensiná-lo a driblar uns adversários. Sem chances de acontecer nessa ou outra vida qualquer. Concorda?

banksy3E é então que a gente entende porque Banksy é mestre em despistar qualquer um que tente revelar a sua identidade. Sem clichês, mas bastante ousado e por muitas vezes, sarcástico. Ou você acha que foi por acaso ter como personagem principal um francês meio sem jeito, dono de varejo em Los Angeles que, de uma hora para outra, se autodenomina cineasta de mão cheia e grafiteiro nas horas vagas?

A partir daí, uma série de eventos bastante inusitados sobre a suposta amizade entre Banksy e Thierry Guetta transforma Exit Through the Gift Shop em um filme sobre o próprio francês, que vira uma celebridade das artes e passa a ser atendido por Mr. Brainwash. Exit Through the Gift Shop vale a pena ser assistido por aqueles que querem conhecer um pouco da história da street art e do graffiti. Mas ainda não é dessa vez que a identidade de Banksy vai ser revelada ao mundo.